Legoinha - Ermida de Santo Amaro 360º

Legoinha - Ermida de Santo Amaro 360º
Alfândega da Fé
GPS 41.337388, -6.846638

Pequeno templo localizado num grande adro e rodea-do pelas poucas casas da povoação, atualmente desabitadas, com orientação nascente-poente.
O edifício é constituído por dois corpos, cabeceira e nave mais elevada. Originalmente o templo era constituído apenas pelo corpo correspondente à atual capela-mor, datável da transição do século XV para o XVI, uma vez que, no que agora é o arco de passagem da nave para a cabeceira, de volta perfeita, existem ainda na sua face nascente os gonzos em pedra de uma porta. Não se sabe em que altura terá sido acrescentado, no entanto, a existência de pinturas murais nas paredes laterais deste corpo, provavelmente de finais do século XVI, dá-nos uma referência temporal para o término dessas obras. O pé direito da capela-mor foi igualmente aumentado na mesma campanha de obras. Tendo em conta o contexto rural onde esta ermida se insere, é possível que tenha tido uma galilé, à semelhança de outros templos da região como, por exemplo, a ermida de São Geraldo de Valpereiro, de Santa Eufêmia de Sendim da Serra, a Capela de Santo António da mesma povoação, a Capela de São João em Vilares da Vilariça e a antiga Capela do Santíssimo Sacramento, em Vilarelhos. No interior, despido de ornamentação, observam-se dois altares de alvenaria de um e de outro lado do arco triunfal, e outro na parede fundeira da capela mor. Neste espaço corre um banco, também de alvenaria, adossado à parede sul. Nesta parede existe uma fresta que foi aberta depois da execução das pinturas, uma vez que estas se encontram parcialmente destruídas neste local. A nave tem uma porta lateral na parede norte.